15/10/2018

Afastado, Batista Filho teme que briga judicial atrapalhe planos do Parnahyba em 2019

Impedido pela Justiça de seguir à frente do Tubarão, ex-presidente aguarda julgamento de ação movida por Gringo para decidir rumos da próxima temporada. “Se eu não voltar até novembro, eu mesmo desisto de assumir o clube”

Batista Filho teme que clube sofra, em 2019, consequências da briga judicial com Gringo — Foto: Renan Morais/GloboEsporte.com

Afastado pela Justiça de forma preventiva do cargo de presidente do Parnahyba, Batista Filho segue aflito do lado de fora do CT Petrônio Portela, no litoral do Piauí. Impedido de conduzir o clube enquanto é julgada a ação movida por Leony Veras, o Gringo, que denunciou suposta fraude nas eleições e falta de prestação de contas, Batista teme que o clube tenha arruinados os planos para 2019. O dirigente explicou que aguarda a apreciação do processo na esfera jurídica até novembro para decidir seu futuro. A ação que afastou o dirigente segue sem data prevista para entrar em pauta.

- Se eu não voltar (ao cargo de presidente) até novembro, eu mesmo desisto de assumir o clube. Senão vai sobrar a bomba para mim de que eu não coloquei time no campeonato, que endividou o Parnahyba. Se eu voltar, minha intenção é fazer primeiramente o acordo com os jogadores por conta dos salários atrasados para só depois ver o resto - comentou o dirigente afastado.

Batista Filho foi reeleito presidente do Parnahyba e afastado pela Justiça após denúncia da chapa de oposição — Foto: Arquivo Pessoal

Reeleito em 2017, Batista Filho foi denunciado por pelo ex-jogador e ex-presidente Gringo por suposta fraude nas eleições presidenciais do clube e também pela falta de prestação de contas da atual gestão. Por conta do impasse, que chegou a ter a nomeação e destituição de uma interventora, o vice-presidente Osvaldo Brandão assumiu o comando azulino.

A novela se estendeu pelos últimos cinco meses e virou motivo de preocupação de Batista Filho por conta da proximidade do mês de dezembro, quando tradicionalmente jogadores e comissão técnica iniciam a pré-temporada. Além do Piauiense 2019, o Parnahyba disputa a Copa São Paulo de Futebol Júnior.

- Atrapalha muito até o time da Copinha. Estamos aguardando a marcação do julgamento. Prestamos as contas com a justiça, quitamos todos os débitos com a CBF, com a federação. É uma sacanagem o que estão fazendo com o Parnahyba – completou Batista.

Batista Filho, presidente afastado do Tubarão — Foto: Wenner Tito

ENTENDA A BRIGA JUDICIAL
A novela começou quando Gringo acionou a Justiça questionando a validade do resultado das eleições que mantiveram Batista Filho no cargo de presidente. A ação movida em outubro do ano passado só foi julgada no início deste ano, quando a 1ª Vara da Comarca de Parnaíba determinou o afastamento de Batista por indícios de irregularidade. Além de denunciar a suposta fraude nas eleições, Gringo ainda denunciou a falta de prestação de contas do clube. O então presidente negou todas as acusações.

Após o afastamento imediato de Batista Filho, Celina Olivindo disse que encontrou resistência para iniciar a prestação de contas. Após 21 dias depois da nomeação como interventora, a professora de administração confessou existir falta de interesse do atual presidente azulino, Osvaldo Brandão, que não foi encontrado por ela para oficializar o início do trabalho administrativo. Osvaldo negou que exista resistência por parte do Parnahyba em aceitar o processo de intervenção.

Segundo os advogados do Parnahyba, foram anexados no autos do pedido de afastamento da interventora a prestação de contas do Tubarão, um dos principais pontos questionados na ação movida por Gringo. O processo segue sem data prevista para ser julgado. Caso seja constatada a irregularidade no pleito, novas eleições presidenciais deverão ser feitas no clube.

Fonte: Globoesporte.com PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing