23/06/2018

Três piauienses presos por fraudar concurso são transferidos para Tocantins



As três pessoas presas em Teresina suspeitas de integrar uma quadrilha que frauda concursos públicos no País foram transferidas para a cidade de Araguaína, em Tocantins. 


A operação Aleteia - deflagrada pela Polícia Civil de Tocantins e contou com ajuda do Greco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado) - prendeu 13 pessoas nos estados do Piauí e Maranhão. 

Um dos presos em Teresina, Antônio Ferreira Lima Sobrinho, conhecido como Antônio Concurseiro, é apontando como líder da quadrilha.

Os mandados de prisão temporária foram determinados pela Justiça do Tocantins. A maioria das prisões foi no Maranhão.

Segundo a investigação, Antônio Concurseiro já havia sido preso no Maranhão por outras fraudes Ele seria a pessoa que faz as provas para repassar gabaritos a outros candidatos. Concurseiro já foi aprovado em mais de 30 concursos públicos. Ele foi preso em um condomínio de luxo na avenida Raul Lopes. 

A investigação
A polícia iniciou a investigação sobre a fraude no concurso da Polícia Militar do Tocantins depois que um aparelho celular foi encontrado no banheiro de um dos locais de votação em Araguaína, norte do Tocantins.

Na época, o delegado regional informou que as respostas encontradas no aparelho não são o gabarito oficial da prova. Além da ocorrência registrada em Araguaína, também houve casos de candidatos encontrados com celulares e um pacote de provas com indícios de violação.

Flash Yala Sena
yalasena@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing