22/06/2018

Campanha nacional contra a gripe termina nesta sexta-feira (22)

Principal preocupação do Ministério da Saúde é com as 3,6 milhões de crianças de até cinco anos que ainda não foram vacinadas


Vacina distribuída pelo Ministério da Saúde previne contra os vírus H1N1 e H3N2

Termina nesta sexta-feira (22) a campanha nacional contra a gripe. Quem faz parte dos grupos prioritários e ainda não se vacinou deve procurar o posto de saúde mais próximo. Das 54,4 milhões de pessoas esperadas para tomar a vacina, 45,8 milhões já compareceram a uma Unidade Básica de Saúde e foram imunizadas. O grupo com menor índice de vacinação é o das crianças menores de cinco anos, no qual 67,7% das 12,6 milhões esperadas receberam a vacina. Por isso, a principal preocupação do Ministério da Saúde é com esse público. 


Para garantir que a vacinação alcance as 3,6 milhões que ainda não receberam a dose, a pasta orienta que os municípios com unidades disponíveis ampliem a imunização para esse grupo e para os adultos de 50 a 59 anos. "É essencial que os pais levem seus filhos aos postos de saúde para receber a vacina e, assim, evitar as complicações do vírus. É uma forma de proteger as crianças e também o restante da população”, reforça o ministro da Saúde, Gilberto Occhi. 

Depois das crianças de seis meses a cinco anos de idade, as gestantes registram os menores índices de vacinação contra a gripe, com cobertura de apenas 71%. Já o público com maior cobertura é o de professores, com 98%, seguido pelas puérperas (que acabaram de ter o filho) (96,2%), idosos (91%) e indígenas (90,5%). Entre os trabalhadores de saúde, a cobertura de vacinação está em 88,6%. 

A definição dos grupos prioritários para a vacinação segue recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) e é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. Os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias são vacinados.

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google