29/10/2018

Quatro pessoas foram detidas no Piauí neste segundo turno

Três pessoas foram levadas à delegacia por violar o sigilo da votação, e a quarta por ter tumultuado um local de votação.

Presidente e vice do TRE-PI, e o procurador regional eleitoral Patrício Noé, concederam uma coletiva de imprensa no início da noite deste domingo (Fotos: Assis Fernandes / O DIA)

O desembargador Sebastião Ribeiro Martins, presidente em exercício do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí, concedeu uma entrevista coletiva no início da noite deste domingo (28) em que afirmou que o dia de votação no estado transcorreu sem grandes contratempos.

No dia da eleição, quatro pessoas foram detidas no Piauí e conduzidas a delegacias para lavratura do termo circunstanciado de ocorrência (TCO), por terem cometido crimes eleitorais de menor potencial ofensivo. Em três casos, as pessoas violaram o sigilo da votação, fotografando ou filmando a urna eletrônica. O quarto caso foi de uma pessoa embriagada que estava tumultuando a sessão eleitoral. 

Além disso, uma urna foi inutilizada por um eleitor, que colocou cola em duas teclas do equipamento. Até a divulgação do balanço pelo TRE-PI, porém, esse eleitor ainda não havia sido identificado. A pena por este crime pode chegar a cinco anos de prisão.

"As eleições no Piauí transcorreram de maneira muito tranquila. No início da votação, ficamos um pouco preocupados, com a notícia de chuvas no sul do estado, especialmente nas cidades de Avelino Lopes e Bom Jesus. Chegou a faltar energia, mas a urna eletrônica tem uma bateria que segura de quatro a cinco horas. Nós entramos em contato com o presidente da Cepisa, e a energia foi prontamente restabelecida nesses municípios. Tivemos outro problema em Lagoa Alegre, onde três sessões eleitorais também ficaram sem energia elétrica. Foram adicionadas baterias externas nessas urnas, de modo que nós não precisamos interromper a votação nesses locais. E em Massapê do Piauí um eleitor colocou cola na tecla de número 7, de modo que os eleitores seguintes não poderiam digitar essa tecla. Mas essa urna foi substituída às 9 horas. Este é um crime eleitoral, e a Polícia Federal será acionada para abrir um inquérito e fazer a investigação", afirmou o desembargador.

O desembargador Sebastião Ribeiro Martins, presidente do TRE-PI (Foto: Assis Fernandes / O DIA)

Na noite de sábado, véspera da votação, alguns jovens foram flagrados por seguranças no momento em que invadiram o campus da Universidade Federal do Piauí (UFPI) no bairro Ininga, que abrigou sessões eleitorais e já estava sob responsabilidade da Justiça Eleitoral.

Segundo o procurador regional eleitoral Patrício Noé, dois dos jovens foram detidos. Além de desobedecerem as ordens dos policiais militares para deixar o local, os jovens ainda chegaram às vias de fato com os agentes de segurança e quebraram o celular de um dos PMs.

"Eles estavam divulgando propaganda eleitoral irregular, pichando e afixando cartazes. E foram flagrados pela vigilância do local no momento em que estavam em frente à sala onde as urnas estavam guardadas. Por isso, foi requisitado reforço na segurança do local, para evitar maiores problemas, caso esses jovens ou outras pessoas tentassem invadir o local durante a noite e madrugada", afirma o procurador.

O desembargador Pedro de Alcântara da Silva Macedo, vice-presidente do TRE-PI, informou que 59 urnas precisaram ser substituídas no estado, número bem inferior ao registrado em 2014, quando 149 equipamentos foram substituídos.

Fonte: Portal O Dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing