02/10/2018

Bandeira de Elmano Férrer, Adutora do Sertão encontra-se em fase de elaboração


ELEIÇÕES 2018



O candidato ao Governo do Piauí Elmano Férrer continua fazendo gestão a favor da Adutora do Sertão, fruto de seu trabalho no senado junto ao Governo Federal, a adutora pode virar realidade. Isso porque, Elmano, enquanto senador da república, conseguiu a inclusão da Adutora do Sertão no Plano Plurianual de Investimentos (PPA 2016-2019) e nas Leis Orçamentárias Anuais desde 2016. Por meio do engajamento de diversos órgãos públicos, o estudo de viabilidade técnica, econômica e ambiental da adutora encontra-se em fase de elaboração.

“Quando cheguei ao Piauí em 1966, entrei por Marcolândia e vi, na época, pessoas sofrendo, dependendo de carros-pipa para ter água. Hoje, 52 anos depois, Marcolândia tem 8.200 moradores, e seus habitantes ainda dependem de carros-pipa. Ao chegar ao senado, me apaixonei pelo proposta e assumi a defesa da Adutora do Sertão, que pode representar o fim da sede no sertão piauiense. Nossos lençóis freáticos são um verdadeiro mar de água doce subterrâneo. E na superfície milhares de piauienses são reféns de carros-pipa ou de longas caminhadas em busca de água para sobreviverem”, declarou.

Na prática, a proposta da Adutora do Sertão consiste em captar água do Aquífero Cabeças, no Vale do Guguéia, entre Eliseu Martins e Cristino Castro, a partir de 37 grandes poços já existentes, que se encontram abandonados. Com isso, a água captada será aduzida até o município de Caracol, a 100km e com seus sub-ramais, a Adutora do Sertão poderá alcançar até 600 mil habitantes em 51 cidades do semiárido. Os estudos preliminares da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM) indicam que o Aquífero Cabeças pode oferecer até 20 milhões de litros por hora, durante 300 anos, sem ser afetado.

A Adutora do Sertão é uma bandeira do senador Elmano Férrer desde 2015. Hoje, está bateria de poços custaria cerca de R$ 100 milhões, sendo que no Piauí, gastam-se anualmente no combate à seca até R$ 120 milhões. De acordo com as primeiras estimativas, em 10 anos a Adutora do Sertão pagaria os custos. “Confirmada sua viabilidade, é compromisso meu, como governador, implantar a Adutora do Sertão, a obra de maior alcance social da história do Piauí. O drama secular da sede no semiárido piauiense estará definitivamente resolvido”, garantiu Férrer. 

Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google