12/03/2018

Defendido por tropa da PM, árbitro relata ameaças: "Tem que apanhar muito"

Diego da Silva Castro registra em documento de empate entre Piauí e Parnahyba afronta e ofensas de jogadores e dirigentes após jogo do Piauiense. Atacante se defende: “Ele me escolheu para expulsar alguém”

Jogadores e comissão do Parnahyba cercam o árbitro, que expulsa três; PM entra em campo

Mesmo depois do apito final, o empate em 2 a 2 entre Piauí e Parnahyba ainda é alvo de polêmica no Campeonato Piauiense. O árbitro Diego da Silva Castro relatou na súmula da partida uma série de ameaças e ofensas supostamente feitas por jogadores e dirigente do Tubarão após o término do confronto. Os gols marcados pelo Enxuga Rato foram originados após marcação de dois pênaltis que irritaram o time adversário. O árbitro precisou sair escoltado pela tropa de choque da Polícia Militar para conseguir deixar o estádio Albertão, em Teresina. Veja acima. O documento publicado nesta segunda detalha as ofensas. Os jogadores e o presidente do Tubarão citados na súmula negaram a versão do árbitro. Se denunciados, os jogadores podem pegar suspensão de 30 a 120 dias como prevê o Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

Jogadores cercam trio de arbitragem e, além do volante Ramon, mais dois são expulsos (Foto: TV Clube)

O caso mais grave descrito pelo juiz na confusão foi o do volante Ramon, que se revoltou pelo cartão vermelho recebido após falta.


- Expulsei diretamente, aos 45 minutos do segundo tempo, o atleta número 05, Carlos Ramon Bezerra Saraiva, da equipe Parnahyba, por reclamar acintosamente contra a arbitragem após a marcação de um pênalti contra sua equipe dizendo as seguintes ofensas: "Filho da p#$@, bandido. Roubou a gente, safado." – descreveu o juiz.

Presidente do Parnahyba argumenta marcação de pênaltis com juiz (Foto: Wenner Tito/GloboEsporte.com)
Tropa de choque da PM protege juiz e auxiliares (Foto: Wenner Tito/GloboEsporte.com)

- Informo que após ser expulso o atleta se recusou a deixar o campo de jogo e veio em minha direção e continuou a me ofender: "Você e mau caráter, veio para prejudicar a gente, ladrão". Sendo ele retirado do campo por seus companheiros de equipe. Informo ainda que o atleta depois de deixar o campo, sentou-se no banco de reservas de sua equipe e recusou-se também a deixar o referido banco de suplentes, criando resistência – completou o árbitro.

Além de Ramon, Diego da Silva Castro expulsou o lateral-direito Alex Santos e o atacante Ítalo, ambos por reclamação acintosa após o jogo. O camisa 9, por sinal, teria ameaçado o juiz, mas negou ao GloboEsporte.com os relatos na súmula.

Confusão Piauí x Parnahyba (Foto: Wenner Tito/GloboEsporte.com)

- Essa parte que eu falei que ele acabou com nosso trabalho é nítido. O que ele fez no segundo tempo foi ridículo. Quando o cara está tendencioso a fazer esse tipo de coisa, ele vai marcar. Isso não vem ao caso porque é minha opinião. Agora chegar que eu cheguei para xingá-lo, ele vai dizer toda hora porque todo mundo foi para cima dele. Nem sei porque ele me expulsou. Ele me escolheu para expulsar alguém – esclareceu o Ítalo.

Procurados pela reportagem, Ramon e Alex Santos não foram encontrados. Batista Filho, presidente do Parnahyba, não se pronunciou publicamente sobre os relatos do árbitro até a publicação desta matéria.

Se denunciados pela procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PI), Ramon, Alex Santos e Ítalo podem pegar um gancho que varia de 30 a 120 dias para cada um, como prevê o Artigo 234-C do CBJD. O regimento ainda prevê multa em dinheiro que pode variar de R$ 100 a R$ 100 mil paga pelo clube azulino.

O empate em 2 a 2 complicou a vida do Parnahyba no estadual. Na quinta posição na tabela, o Tubarão segue fora do G-4, a zona de classificação à semifinal, e a um ponto de distância do 4 de Julho, quarto colocado e que tem um jogo a menos. Restam duas rodadas para o fim da primeira fase.

CONFIRA NA ÍNTEGRA O RELATO DO JUIZ
Expulsei diretamente, aos 45 minutos do segundo tempo, o atleta número 05, Carlos Ramon Bezerra Saraiva, da equipe Parnahyba, por reclamar acintosamente contra a arbitragem após a marcação de um pênalti contra sua equipe dizendo as seguintes ofensas: "Filho da p#$@, bandido. Roubou a gente, safado."

- Informo que após ser expulso o atleta se recusou a deixar o campo de jogo e veio em minha direção e continuou a me ofender: "Você e mau caráter, veio para prejudicar a gente, ladrão". Sendo ele retirado do campo por seus companheiros de equipe. Informo ainda que o atleta depois de deixar o campo, sentou-se no banco de reservas de sua equipe e recusou-se também a deixar o referido banco de suplentes, criando resistência.

Súmula Piauí x Parnahyba (Foto: Reprodução/FFP)

Após o termino da partida, os atletas da equipe do Parnahyba, inconformados com o resultado da partida, vieram em direção à equipe de arbitragem, reunida ainda em campo, para protestar. Neste momento, os jogadores fizeram um cerco a arbitragem que prontamente foi protegida pelo policiamento.

Neste momento expulsei diretamente com o cartão vermelho o atleta número 09, o senhor Ítalo Raphael Eloi Santos, capitão da equipe do Parnahyba por proferir as seguintes ofensas: "Você é um safado. Acabou com o nosso trabalho, vagabundo, covarde. Você tem que apanhar muito, ladrão."

Expulsei diretamente também com o cartão vermelho o atleta número 02, o senhor Alex dos Santos, da equipe do Parnahyba, por também ofender a equipe de arbitragem dizendo: "Vocês são um bando de ladrões, bagunçaram o jogo. Nós temos família, você não tem, safado, filho da p#$@. Covarde."

Informo que durante o tumulto vários jogadores substitutos, membros da comissão técnica e dirigentes da equipe do Parnahyba invadiram o campo de jogo e também vieram nos ofender. Dentre os identificados estavam o atleta que havia sido expulso anteriormente, o senhor Carlos Ramon Bezerra Saraiva, que falou as seguintes ofensas: "Me expulsa de novo agora, seu bandido. Está vendo o que você fez? Seu covarde. Atrás da polícia e fácil. Ladrão.”

Também o presidente da equipe, o senhor Batista Filho, que disse: "Diego, hoje você acabou com meu time. Respeito você, mas hoje você não respeitou o Parnahyba, tirou o meu time do campeonato. Ridículo isso. Não sei o que dizer a você. Me prejudicou, me prejudicou muito."

Informo que durante a invasão o Diogo Williams Carvalho Sampaio, dirigente da equipe do Parnahyba, fez várias ameaças à equipe de arbitragem, dizendo: "Seus bandidos, vocês não perdem por esperar, cuidado quando for em Parnaíba. Moleque, safado. Roubou nosso time. Vocês vão pagar por isso, seus bandidos."

Após aproximadamente 5 minutos, fomos conduzidos pelo policiamento até o túnel de acesso ao vestiário, onde o preparador de goleiros da equipe do Parnahyba, Wellison José Souza de Lima, proferiu as seguintes ofensas enquanto passávamos: "Está vendo ai, vagabundo, o que você conseguiu? Ladrão, safado. Covarde."

Fonte: GloboEsporte.com, Piauí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing