30/01/2018

China vê bola aérea como ponto fraco do time e traça plano: "Tem que entender"

Técnico do Parnahyba inicia semana pré-jogo contra Piauí com problema defensivo para resolver. Empate em Piripiri é classificado como bom: "Dentro do nosso objetivo"

Sérgio China (Foto: Josiel Martins/GloboEsporte.com)

A partir desta segunda-feira, Sérgio China inicia o planejamento azulino para encarar o Piauí, adversário da terceira rodada do Campeonato Piauiense. No duelo do líder com o vice – o Tubarão perdeu a liderança para o Enxuga Rato no saldo de gols –, o treinador garantiu uma estratégia diferente da adotada no empate em 0 a 0 contra o 4 de Julho. E reconheceu um calo na equipe: a vulnerabilidade na bola aérea.


O ponto somado na Arena Ytacoatiara, em Piripiri, acabou analisado como benéfico pelo técnico. O campo ensopado prejudicou o jogo técnico do Parnahyba, que ainda perdeu Juninho Pindaré no começo do primeiro tempo. A estreia de Formiga no time poderia até terminar em gol, mas a conclusão do meia foi atrapalhada justamente na hora do chute pelo gramado.

- Vamos descansar e analisar o jogo. A partir de segunda vamos pensar no Piauí. Fabinho não esteve no jogo, ele não conseguiu profundidade. Idelvando se desgastou, fez essa função. Temos que pensar, se adaptar a esse tipo de situação (campo pesado). Nossa equipe é frágil na bola aérea. Só tem o Miltão e o Bahia, além do Gasolina que sobe bem. Os outros não. A gente tem que entender, analisar o jogo do adversário, que no final foi bom – analisou China.

Cesar defende cabeçada de Raphael Freitas e garante empate sem gols na Arena

O técnico comentou sobre a importância do ponto somado em Piripiri.
- Essa primeira fase é pontos corridos, temos que estar entre os quatro e principalmente em primeiro ou segundo para a vantagem da semifinal. Esse é o nosso objetivo, independente de qualquer equipe, buscar fora de casa sempre a vitória. Temos que ter estratégia. O que deu para fazer contra o 4 de Julho foi essa, uma equipe compacta no meio e tentando os contra-ataques. O que falhamos foi no segundo tempo, que não tivemos contra-ataques – ponderou.

A partida contra o Piauí acontece no domingo, às 17h, no estádio Verdinho.
Confira outras respostas de Sérgio China

Entrada de Formiga e Ramon 
- O Ramon, sabíamos que teríamos dificuldades. Passou muito tempo na transição, mas é um atleta de qualidade que vai ser importante para o nosso grupo. Não foi o jogo que ele pôde dar a sua condição técnica por causa do campo, mas ajudou no posicionamento com três volantes. Eles estavam fazendo ligação direta, estávamos com dificuldade com Pio e Gasolina por estarem desgastados. O Formiga teve um contra-ataque, é outro que vai nos ajudar bastante.

Sérgio China (Foto: Josiel Martins/GloboEsporte.com)

Baixa de Juninho Pindaré 
- O zagueiro deles foi inteligente. Na minha visão, na parte disciplinar, foi o único erro da arbitragem. O zagueiro foi para tirar o Juninho. Ele não foi na bola, foi no jogador. Juninho busca a profundidade e o espaço vazio, a gente no momento ainda não tem esse jogador (para substituir). Fabinho poderia fazer isso, mas ele precisa entrar mais no jogo para ser esse jogador que nos ajude ofensivamente.

Rendimento baixo
- É normal. Futebol são duas equipes jogando. Em 20 minutos conseguimos até chegar, tivemos três bolas na frente do gol e ela não foi. No campo desse, o chute deveria ser no chão para dificultar a defesa do goleiro. A equipe deles cresceu, sabe jogar nesse gramado e é compacta. No final, saiu de bom tamanho para gente.

Fonte: Globoesporte.com, Piauí

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Racing