06/06/2018

Promotor denuncia ex-namorado de Aretha Dantas por feminicídio

Suspeito foi denunciado por homicídio triplamente qualificado. MP vai pedir novas diligências para obter mais provas de qualificadoras.

Aretha Dantas, de 32 anos, foi assassinada no dia 15 de maio. (Foto: Arquivo pessoal)

O promotor Benigno Filho, que integra o Núcleo das Promotorias do Tribunal do Júri, ofereceu à Justiça a denúncia contra Paulo Alves dos Santos Neto, suspeito de matar a ex-namorada, a cabeleireira Aretha Dantas. O promotor afirmou ao G1 que há provas, além da confissão do suspeito, que indicam a autoria de homicídio triplamente qualificado, incluindo o feminicídio.


Benigno declarou que além de provas materiais como o laudo cadavérico e a faca usada no crime, encontrada na casa de Paulo, há a confissão do suspeito. “Ele demonstra muita frieza e lucidez no depoimento sobre o crime”, disse o promotor.

Objetos pessoais da vítima e uma faca foram encontrados na casa em que ela morava com o suspeito (Foto: José Marcelo/G1PI)

Ele disse ainda que além do feminicídio, há indícios de emprego de meio cruel como causa da morte, além de impossibilidade de defesa da vítima.

“Ele afirma que ela deu uma facada dele, mas em seguida ele tomou a faca e não deu apenas duas facadas, foram mais de 20 golpes. Nota-se o meio cruel usado por ele. Além disso, aconteceu dentro do carro, um local fechado. Ela tem muitas marcas no lado esquerdo do corpo, que mostram que ela tentou se defender, mas não conseguiu", disse o promotor.

Novas diligências
Benigno informou ainda que vai solicitar novas diligências sobre o caso, com o objetivo de garantir mais provas a respeito das qualificadoras. O corpo de Aretha foi encontrado com mais de 20 perfurações e marcas de atropelamento.

Corpo de Aretha foi encontrado na Av. Maranhão, em Teresina (Foto: Reprodução/TV Clube)

Além disso, o promotor disse que pretende obter informações acerca da lucidez de Paulo no momento do crime. Isso porque ele chegou a solicitar exame de sanidade mental, negado pela Justiça.

"Queremos entender como o corpo dela foi parar fora do carro, como foi atropelado. Isso inclusive vai demonstrar o comportamento dele no crime, a lucidez com que ele fez tudo isso", relatou.

O crime aconteceu no dia 15 de maio e, desde o dia 16, Paulo está preso como principal suspeito do crime. Em depoimento, segundo a delegada Luana Alves, responsável pelo caso, ele confessou.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google