12/06/2018

'Acordei com ele me dando socos', diz vítima agredida por ex-companheiro no Piauí

A agressão aconteceu na frente do filho mais velho do casal. "Ele não quer mais ver o pai”, desabafou a vítima. Caso é acompanhado pela Delegacia da Mulher.

Delegada Vilma Alves defende castração dos suspeitos de estupro coletivo (Foto: Priscila Caldas)

“Acordei com ele me dando socos”, relatou a vítima agredida durante a madrugada dessa segunda-feira (11) pelo ex-companheiro em Teresina. Ela, que preferiu não se identificar, contou ao G1 que foi surpreendia pelo agressor enquanto dormia e que só conseguiu pedir ajuda quando já estava com o rosto coberto de sangue.

A vítima disse que tudo começou no domingo (10). “Fui para um almoço na casa de uma colega e ele ia pegar os meninos [filhos do casal]. Quando ele estava com eles, me mandou mensagem dizendo para eu ir para casa porque a tarefa deles não tinha sido feita e que era para eu fazer. Respondi que não ia, que ele também é pai e que ficava pouco tempo com eles e poderia fazer a tarefa deles”, contou.

Contrariado com a resposta da ex-mulher, o homem teria saído à procura dela. “Ele não me achou lá, porque eu tinha ido para outro local, e ficou louco. Quando eu cheguei em casa, estava muito cansada e fui dormir, quando acordei ele estava em cima de mim me dando socos e dizendo que era para eu respeitar 'cara de homem'”, relatou a vítima.

“Gritava e ninguém me ouvia. Quando consegui sair do quarto já estava toda ensanguentada. Foi quando minha mãe ouviu e me trancou dentro do banheiro”

Do banheiro, ela conseguiu ligar para a polícia. “Ele chegou a arrombar a porta, mas quando viu que eu estava falando com a polícia correu, mas antes de fugir, me ameaçou. Disse que aquilo era só para eu respeitar ele, se não o pior iria acontecer”, narrou.

O casal ficou junto por oito anos e se separou há cerca de oito meses. A agressão aconteceu na frente do filho mais velho. “Ele não quer mais ver o pai”, desabafou a vítima.

Denúncia
A vítima procurou a Delegacia da Mulher para denunciar o ex-companheiro. “Ela chegou aqui com o rosto todo machucado. Os olhos roxos, o nariz inchado, chorando, amedrontada, relatando que o ex-companheiro dela, de quem ela está separada há quase oito meses, invadiu a casa da mãe dela e a agrediu enquanto ela dormia", informou a delegada Vilma Alves.


De acordo com a delegada, o agressor deve responder por invasão de domicílio e agressão. "Além disso, estamos providenciando as medidas protetivas. Ela está com medo da ameaça e estamos trabalhando para que ela não seja mais uma vítima de feminicídio. Prevenir é necessário”, declarou Vilma Alves.

Fonte:  G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google