29/05/2018

João Vicente desiste de eleição e não garante apoio a Elmano


Foto: Lídia Brito/Cidadeverde.com

Fim da novela. O ex-senador João Vicente Claudino (PTB) confirmou que não será candidato a governador. O anúncio foi feito na manhã desta terça-feira (29) durante pronunciamento à imprensa.


João Vicente se coloca como eleitor e diz que a decisão foi tomada pensando no Piauí.

"Sempre busquei dedicar meu melhor pelo Piauí. Assim fiz. Queria ter feito muito mais. Às vezes a dinâmica da doação pública não sai do ritmo que normalmente levamos no nosso dia a dia e estamos acostumados na nossa vida. Vinha colocando meu nome à disposição, me inserindo no cenário estadual. Disse que iria me filiar a um partido, analisar o cenário. Buscamos a melhor estratégia pensando no Estado. A situação do Estado se agrava e essa preocupação só aumenta. Me filiei ao PTB no início de abril e agora em maio anuncio uma decisão final. Não foi impondo meu tempo aos outros. O tempo chegou e quero comunicar que retiro meu nome da discussão do cenário estadual. Aqueles que se colocam à disposição, vamos torcer para ter um nome bom", diz.

Apesar de desistir da candidatura, João Vicente não garante apoio à pré-candidatura do senador Elmano Ferrer (Podemos). Ele diz que apoia Álvaro Dias (Podemos) para a presidência, mas quando é questionado sobre Elmano diz apenas ter "intenções".

"Eu me torno eleitor. Nosso candidato a presidente é Álvaro Dias (Podemos). Ele sabe disso. No quadro estadual tenho intenções desde que essas candidaturas se cristalizem. Tem o Dr. Pessoa para o Senado se ele for candidato. Quanto ao Elmano que está se dispondo a ser governador", declarou.

"O PTB caminhará com candidatura própria compondo candidatura majoritária. Nunca coloquei que se eu tomasse uma decisão o PTB deveria me seguir. Se o PTB quiser vir depende da articulação desses candidatos", destacou.

João Vicente falou sobre a candidatura de Luciano Nunes. Ele queria unir a oposição, mas não teve a adesão do grupo ligado ao tucano.

"Acho até que é vinculação de projeto. Eu não conheço o projeto apesar dele está caminhando há mais de quatro meses. Eu tenho pela pessoa dele um apreço grande. Por uma questão de identidade porque o senador Elmano já foi gestor, enfrentou desafios, pesa na decisão. Você tem de um lado um governador que pretende um quarto mandato. No outro, um candidato que pode se colocar como opção é tem experiência de gestão. Do outro alguém que quer colocar seu nome, mas não teve essa experiência. Então passa por esse momento de gestão", afirmou.

O ex-senador deixou claro que liberou o PTB e também o grupo de dez partidos emergentes que queria que ele fosse candidato. 

"Esse partidos queriam a minha candidatura. Agora, eles irão conversar com os outros candidatos. Mas o importante para esse grupo é fazer nomes na Câmara e no Senado. Em 2022 não haverá mais coligação", comentou.

Lídia Brito
lidiabrito@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google