06/03/2018

Polícia apreende dinheiro de roubo a bancos no Piauí

Homens foram presos com cerca de R$ 33.800 em dinheiro ainda com lacres de bancos. Polícia procurava por responsáveis de uma chacina em Alegrete do Piauí.

Dinheiro foi encontrado enquanto policiais faziam outra investigação (Foto: Divulgação / Polícia Civil)

Dois homens foram presos em uma casa com R$ 33.800 em notas com lacres de bancos. O dinheiro, roubado do Bradesco e do Banco do Brasil, seria de crimes executados ainda no ano de 2017, e as notas estavam mofadas. A apreensão aconteceu na cidade de Monsenhor Hipólito, a 379 km de Teresina, enquanto a polícia procurava pelos responsáveis por uma chacina em Alegrete do Piauí.


De acordo com o delegado Emir Maia, gerente de policiamento do interior do estado, os policiais da Delegacia de Monsenhor Hipólito cumpriram um mandado de busca em uma casa para apreender armas de fogo que teriam sido usadas em uma chacina ocorrida na cidade de Alegrete do Piauí ainda em 2015.

Dinheiro foi encontrado em caixa de papelão. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil )

"As pessoas ligadas a pessoa com quem o dinheiro foi encontrado são os prováveis autores de uma chacina que houve na cidade de Alegrete do Piauí. A polícia foi lá não atrás do dinheiro, mas atrás de armas que teriam sido utilizadas na chacina e ao chegar lá encontrou o dinheiro", pontuou o delegado Emir Maia.

Durante a busca pela casa, os policiais encontraram o dinheiro guardado em caixas de papelão. Parte do dinheiro carregava ainda etiqueta do banco Bradesco da cidade de Picos. Duas pessoas foram presas. O delegado falou que a esposa do suspeito estava na casa durante o momento da apreensão, mas não foi confirmado que ela tinha participação no crime e foi liberada.

Dinheiro ainda tinha lacre do Bradesco da cidade de Picos. (Foto: Divulgação/ Polícia Civil )

O dono da casa era conhecido pela polícia e estava envolvido em outros crimes. O homem fugiu do local em um carro sendo perseguido pelos policiais. Segundo o delegado Emir o suspeito acelerou até ultrapassar os 180 km/h. "Ele fugiu a mais de 180 km/h, porque a viatura deu 180 km/h e não conseguiu pegá-lo. Ele estava em um carro mais possante e avançou pela BR-020, talvez alcançando 200 km/h", relatou.

O caso foi encaminhado para o Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO) que seguirá com investigações.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google