08/03/2018

Morre vigilante baleado em ataque a carro-forte em trecho da BR-343 no Piauí

A morte cerebral do vigilante foi confirmada no sábado (3), mas a família havia decidido manter o suporte de vida ligado com esperança de que ele reagisse.

Carro forte onde o vigilante estava foi explodido na BR-343 (Foto: Reprodução)

A morte do vigilante Carlos Henrique, da empresa Prossegur, foi confirmada nesta quarta-feira (7). Ele já tinha tido a morte encefálica decretada, mas continuava vivo com ajuda de aparelhos em um hospital particular de Teresina. De acordo com o presidente do Sindicato dos Vigilantes do Transporte e Segurança de Valores do Piauí (Sindvalores), Eduardo Pinheiro, o falecimento foi comunicado por uma filha do vigilante.


Segundo Eduardo Pinheiro, o corpo será levado primeiro para o Instituto de Medicina Legal (IML) e somente depois dos procedimentos legais será liberado para a família. O velório está previsto para acontecer na residência da família, localizada no bairro Renascença, Zona Sudeste da capital, mas ainda não tem horário confirmado.

“Vai depender da demora para liberarem no IML e da funerária levar para a casa deles. O sepultamento vai ser em União”, informou Eduardo Pinheiro ao G1. A morte cerebral do vigilante foi confirmada no sábado (3), mas a família havia decidido manter o suporte de vida ligado com esperança de que ele reagisse.

Bandidos explodiram carro-forte no Piauí (Foto: Reprodução)

Carlos Henrique foi baleado na cabeça na tarde do dia 19 de fevereiro, na BR-343, entre as cidades de Altos e Campo Maior, a cerca de 70 km de Teresina. O vigilante fazia a segurança de um carro-forte que transportava dinheiro, quando o veículo foi atacado por bandidos armados.

Quatro baleados
Além de Carlos Henrique, outros vigilantes foram baleados durante duas ações criminosas contra carros-fortes registradas durante uma mesma tarde. O colega de Carlos Henrique foi baleado na perna, passou por cirurgia e recebeu alta dias depois. No ataque ao segundo carro-forte, na cidade de Lagoinha do Piauí, outros dois vigilantes também foram baleados, mas não ficaram gravemente feridos.

Veículo utilitário foi encontrado às margens de rodovia onde ocorreu ataque em Lagoinha (Foto: Fernando Rocha / Portal Lagoinha Notícias)

Conforme a polícia, os criminosos conseguiram levar R$ 1,5 milhão do assalto ao primeiro carro que transportava valores. Dias depois, dois homens foram presos no Maranhão com materiais como placas metálicas, usadas nos ataques aos carros fortes para proteger os bandidos dos disparos em uma troca de tiros. Não há confirmação se eles participaram de algum dos ataques ocorridos no Piauí.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google