16/03/2018

Entenda o que muda com o Novo Protocolo de tratamento de hepatite C

Todas as pessoas com a doença contarão com tratamento gratuito no SUS, independentemente do dano no fígado. Confira o que mais está diferente


Arquivo/ Agência Paraná de Notícias

O Novo Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas das Hepatites Virais foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (15). Agora, todas as pessoas diagnosticadas com hepatite C contarão com tratamento gratuito no Sistema Único de Saúde (SUS), independentemente do grau de dano no fígado.


Com a ampliação da assistência, o Ministério da Saúde busca eliminar a enfermidade até 2030. Ainda para 2018, a expectativa é ofertar tratamento para mais 50 mil pessoas com hepatite C.

Saiba quais outras mudanças já estão valendo:

Terapia
Novas indicações de tratamento, como nos casos de coinfecção de hepatite B e C, serão priorizadas, independentemente do grau de fibrose.

Acesso
Ampliação do acesso ao atendimento aos pacientes com hemoglobinopatias e outras anemias hemolíticas, hemofilia e outras coagulopatias hereditárias que acentuam a evolução da lesão hepática.

Menos burocracia
Tratamento para casos recém-diagnosticados com doença hepática avançada. Antes era necessário o paciente apresentar cargas virais para comprovação.
Cirrose

Extensão do tratamento de 12 para 24 semanas para os casos de genótipo 3 com cirrose.

Fibrose
Métodos não invasivos para avaliar o tecido fruto de cicatrização e indicação de tratamento imediato: APRI e FIB4 como primeira escolha.

Medicamento
Incorporação de novas terapias para hepatite C com genótipo 1 e 4, que inclui os medicamentos elbasvir + grazoprevir e ledispavir + sofosbuvir (com menos efeitos colaterais).

Fonte: Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google