03/02/2018

Temer anuncia autorização de estudo que vai revitalizar rios no Piauí

Foto: Apoliana Oliveira/180graus

Na ultima sexta-feira (02), durante a inauguração da 2ª estação de bombeamento no eixo norte do Rio São Francisco em Pernambuco, o presidente Michel Temer (MDB) prometeu assinar - tão logo chegue a sua mesa - a autorização para os estudos da integração das bacias dos rios Tocantins e São Francisco.


A liberação dos recursos para o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental desta interligação interessa ao Piauí, já que poderá no futuro solucionar um problema secular do semiárido piauiense, como explica o secretário nacional de saneamento ambiental do Ministério das Cidades, Henrique Pires,que integra do grupo de estudo deste projeto.

"Com essa quantidade de água que virá do Tocantins e que chegará ao São Francisco possibilita que por gravidade o volume de água também chegue ao rio Piauí. Nós vamos poder puxar água através da represa de Remanso na Bahia para Caracol no Piauí e o rio Piauí voltar a ser um rio perene", explica Henrique Pires. A distância a ser percorrida pela água até chegar ao Piauí é de apenas 60 km até a nascente do rio Piauí, o que beneficiaria não só o consumo humano como também a agricultura da região. Pires lembra ainda que a exemplo disso já foi possível, quando a frente da Funasa, a destinação de destinei R$ 12 milhões, via Secretaria da Defesa Civil do Governo do Piauí, para fazer o Estudo de Viabilidade da Transposição (EVETEA) de águas do lençol freático do Rio Gurguéia para cidade de Caracol e beneficiar outros 50 municípios com a construção de uma adutora.

A interligação das duas bacias é apontada como uma saída para a revitalização do Ruo São Francisco. Os estudos para a obra também foram defendidos pelo ministro Integração Nacional, Helder Barbalho, que segundo ele seria a complementação da obra de transposição do rio, já que sem a revitalização do São Francisco a transposição não terá o efeito desejado. 'Não adianta ter transposição se o rio São Francisco não estiver vivo para oferecer água'', disse. O projeto deve envolver mais de 320 quilômetros, é um eixo norte e mais 90 quilômetros. São 600 metros de gravidade entre a captação, no Tocantins, e a entrega, na Bahia.

As estimativas, antes do estudo que deve ser aprovado pelo presidente Temer, é de que seja necessário um investimento de cerca de R$ 3 bilhões para trazer a água do rio Tocantins. "Fira mais de 20 anos com esse projeto parado e há dois anos foi aprovado pela Comissão de Viação e Transportes e deve prosseguir agora com este compromisso do presidente Temer em autorizar esse estudo de viabilidade, o que estimula as lideranças do Piauí a lutar para que ele se viabilize e proporcione a revitalização nosso rio Piauí", conclui Henrique Pires.

Fonte: AsCom

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google