02/01/2018

"Monstro", diz cantor a policial que atirou em abordagem, matando criança

Sem poder trabalhar por tempo indeterminado, ele agora está morando na casa do sogro


O cantor Evandro Costa, pai da garota de 9 anos morta durante uma abordagem da Polícia Militar no início da semana passada, perdeu a audição do ouvido esquerdo. Ele recebeu alta do Hospital de Urgência de Teresina, mas tem ainda alojada na cabeça a bala que o atingiu, também disparada por um PM.

Sem poder trabalhar por tempo indeterminado, ele agora está morando na casa do sogro, por não poder sustentar a casa onde vivia com a família, e tem contado com a ajuda de amigos e vizinhos até para garantir alimentação.




Daiani, esposa de Evandro, também foi baleada na ação. Em entrevista à TV Clube, ela repete a versão de que temeu ser multada com o marido pelo não uso do bebê conforto para a filha mais nova, de 8 meses. O cantor admite ter acelerado, mas acabou parando ao sinal da sirene da viatura. "Como cidadão, pensei: o que eles querem comigo?".

Com o carro da família já parado, os policiais atiraram, acertando além do cantor e da dona de casa, a menina de 9 anos, que levada para o HUT, não resistiu aos ferimentos. "Minha tristeza maior é que ela morreu com fome", diz Daiani.

A família está sendo sustentada pelo sogro de Evandro, que vende carvão. Mas o que tira com a venda não é suficiente para o sustento da família. Francisco Caetano cantava na banda do genro, e lamenta que toda a agenda de shows que estava lotada para o fim do ano tenha sido dispensada.

Ainda à reportagem, Evandro fez um desabafo diante das câmeras, criticando a ação do policial que atirou acertando sua filha. "Não sei como a corporação aceita um cara como esse. Antes de defender o cidadão acaba destruindo famílias, matando crianças. E eu quero Justiça. Não te considero como um cidadão que nem eu. Eu sou um cidadão. Eu te considero como um monstro. Espero que pague por tudo que você fez", disse. 

Já Daniani falou para o Estado e à Justiça, lamentando o ingresso na PM de candidatos reprovados na fase de exames psicológicos. "Quando for colocar policial lá, coloque policial de verdade, uma pessoa preparada (...) Hoje foi a minha família, amanhã pode ser a sua. Não destruam famílias, não acabem com mais sonhos", afirmou.

Fonte: 180

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google