18/01/2018

Curso de Agronomia de Parnaíba contribui com projeto de adubação verde da EMBRAPA

Os bancos de semente foram criados em 8 cidades do Piauí |Foto:Fernando Sininbu(ascom/EMPRAPA)

Os professores e alunos do curso de Agronomia do Campus Profº Alexandre Alves de Oliveira da UESPI (Universidade Estadual do Piauí) em Parnaíba, em especial os que participam do projeto NEA/CAJUÍ, estão participando de um projeto importante para todo o Nordeste Brasileiro. Trata-se de uma iniciativa da EMBRAPA(Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) para a criação de vários bancos de sementes de plantas para serem utilizadas como adubos verdes. Essa adubação verde consiste no uso de plantas, especialmente leguminosas, que fortalecem e nutrem o solo.


No Piauí foram criados bancos de sementes nas cidades de Pedro II, Jatobá do Piauí, São João do Piauí, Parnaíba, Campo Maior, Piracuruca, São Raimundo Nonato e Simplício Mendes, e o trabalho também se estendeu para outros estados, como o Ceará, Maranhão e Rio Grande do Norte. Com esses bancos, os pequenos produtores se juntam em cooperativas e conseguem fazer o empréstimo dessas sementes pagando posteriormente, não com dinheiro, mas com uma quantidade superior dessas mesmas sementes.

O projeto está contribuindo com a agricultura dessas cidades, especialmente com os pequenos produtores, já que o custo de trazer o produto de outros estados era alto. No cultivo dessas sementes não são usados defensivos agrícolas nem insumos químicos. Segundo o coordenador do Nea/Cajuí, Valdinar Bezerra, essa adubação verde também é recomendada aos pequenos agricultores atendidos pelo programa.

“A UESPI contribuiu com a iniciativa da adubação verde com o envolvimento dos discentes em estágios na área da Embrapa e pesquisa com os Trabalhos de TCC e Pibic/CNPq/UESPI”, relata Valdinar. Os professores e alunos auxiliam na obtenção de informações sobre cultivos das plantas usadas na adubação verde, como o chocalho-de-cobra (Crotalaria juncea) e feijão-de-porco (Canavalia ensiformis), e sua adequação para nossas condições de clima e solo.

O professor também destaca a continuidade dessas pesquisas também em trabalhos de pós-graduação de egressos da UESPI: “Nós estamos com uma aluna egressa fazendo especialização no IFPI(Instituto Federal do Piauí) que é uma continuidade do que foi feito na EMBRAPA”, informa. Além da importância para a comunidade acadêmica e para os agricultores, as pesquisas desenvolvidas também são importantes para a valorização de plantas nativas da região, verificando sua capacidade para também funcionar como adubo verde.

Assessoria de Comunicação - UESPI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google