12/12/2017

NOMES DE OPOSIÇÃO ESTÃO GANHANDO FORÇA

Políticos sinalizam a JVC que ele pode ser o candidato; empresário discursa afinado com o apelo popular 

JVC chegou sozinho à festa, dirigindo o próprio carro e sem a órbita de assessores, como é comum de políticos e 
foi festejado por convidados (foto: Marcos Melo | PoliticaDinamica.com)

No último sábado (9), grandes líderes da oposição e do governo se encontraram em evento promovido por pelo deputado Robert Rios (PDT). E durante essa festa, o empresário João Vicente Claudino foi cumprimentado pela maioria com referências a uma possível candidatura de governador em 2018.

“Acho que é delicadeza. Vejo como apenas muito carinho. É preciso ter serenidade”, comentou ao Política Dinâmica. Ele acredita que não é hora de antecipar candidaturas, principalmente do lado da oposição.


JVC diz que, do seu ponto de vista, antecipar chapas e candidaturas tira do governador Wellington Dias (PT) e de sua gestão à frente do governo a responsabilidade de tratar e debater questões mais importantes. “O governo é quem mais antecipa. Quando se lança uma chapa de governo e o governo ocupa espaço de mídia falando de chapa da oposição, parece que se quer matar a oposição no cansaço. Há um tempo pra tudo. Isso é bíblico”, avalia.

Veja o vídeo! 


O empresário enxerga que haverá o momento em que cada um dos candidatos que se apresentarem em 2018 terá que prestar conta de sua atuação na vida pública ou privada e apresentar sua contribuição para o Piauí.

No atual momento, JVC diz que o debate deve estar focado em em saídas para o Piauí se distanciar da crise. “Temos que falar de projetos. Projetos factíveis, não mirabolantes. Dos potenciais econômicos do estado, todos já sabem. Todo piauiense já sabe o potencial de cada região”, pondera João.


João Vicente acredita que o momento é de cautela com candidaturas e necessidade com os debates mais importantes 
(foto: Marcos Melo | politicaDinamica.com)

Para ele, a crise não acaba com mais transferências federais ou empréstimos. “Primeiro se tem empréstimo, é gastar bem. Gastar primeiro com o fim específico para o qual esses empréstimos foram tomados. Sem desviar o fim do empréstimo. Segundo, é fazer com que esse gasto seja bem aplicado e multiplique a acção deste empréstimo. Daí, não podemos viver eternamente tendo uma economia só esperando transferências federais. Isso tem que ter, temos que brigar por isso, mas temos que fazer com que nossa economia cresça, se fortaleça, aumente o produto interno do estado”, diz.

JVC acredita que o trabalho ideal pelo desenvolvimento do Piauí vai alem de mandatos e projetos pessoais “Para que o estado verdadeiramente se torne, dentro de um projeto de médio e longo prazo, um estado que tenha participação maior daqueles que produzem aqui e uma participação menor do Governo Federal”, aponta. 

Fonte: Política Dinâmica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Anuncio google