15/10/2017

Relatório do DNIT atesta BR-135 como a pior rodovia federal do Piauí



A BR-135 tem agora oficialmente o título de pior rodovia federal do Piauí. Dados do Indicador de Qualidade das Rodovias Federais, divulgados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), mostram que quase a totalidade dos 7% da malha em péssimo estado de manutenção, correspondem ao trecho da "Rodovia da Morte", entre os municípios de Redenção do Gurgueia e Cristalândia, cerca de 200 km.


Levantamentos da Polícia Rodoviária Federal apontam que das mortes registradas no primeiro semestre, nas BRs do Piauí, 35% ocorreram em decorrência de acidentes na BR-135.

São incontáveis os problemas no trecho mais crítico da rodovia. Falta sinalização, acostamento inexiste, as condições do asfalto são precárias, há pontos de estreitamento da pista [5,2m quando o ideal é 7m], e desnível em relação ao solo, que em alguns lugares chega a 35 cm].

E boa parte dos acidentes ocorrem justamente por conta do desnível. Quando se cruzam, veículos de grande porte acabam saindo da pista, e muitos não conseguem retomar o controle da direção após cair no acostamento, e acaba tombando.


Bancada federal se mobiliza, mas ainda é pouco
O projeto de restruturação de toda extensão da BR que corta o Piauí foi orçado em mais de R$ 350 milhões. Na última reunião da bancada federal piauiense, para deliberar sobre a destinação de emendas, a "Rodovia da Morte" foi uma das prioridades definidas pelos parlamentares, assim como o custeio da saúde.

Mas até agora, somente R$ 30 milhões estão assegurados. Nem 10% do que necessário para restruturação da via, que é a principal porta de escoamento da produção de soja do cerrado piauiense. Durante a safra, são mais de 100 mil caminhões que cruzam a rodovia.

Fonte: 180

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta