29/10/2017

Famílias esperam há um ano por casas destruídas em incêndio no Piauí

Quatro casas foram destruídas e 30 famílias foram afetadas por incêndio. Governo alega que aplicou recursos para construir habitações.

Famílias que perderam tudo em incêndio há um ano em União não receberam ajuda do governo

Famílias vítimas de um incêndio em 11 de Outubro no ano passado em União, Norte do Piauí, ainda aguardam por acesso a uma nova casa. O fogo destruiu casas no Povoado Terra Dura e afetou 30 famílias. O governo do estado através da Agência de Desenvolvimento Habitacional do Piauí (ADH) disse que vai enviar uma equipe técnica para fiscalizar a obra.

A lavradora Maria das Graças ainda guarda lembranças da casa que foi destruída pelas chamas. "Parece que ainda é do mesmo jeitinho. Eram as coisas se acabando como a minha casinha e eu estou sem ela", disse a lavradora. Ela e a família de cinco pessoas moram em uma casa emprestada de um vizinho. Todos os móveis também foram doados por vizinhos e amigos.

"Eu acho bom morar aqui. O problema é que não é nosso", contou sobre a moradia improvisada que habita no momento. Perto há uma casa de tijolos onde eles deveriam estar morando, mas que está inacabada. O banheiro e as instalações elétricas ainda estão por fazer. Ainda não há previsão de quando vai ficar pronto. "Dizem que não está pronta porque não pagaram. Se tivessem pago teriam terminado. Eu disse que estava em casa alheia faz dois anos", contou o lavrador Antônio Rodrigues.

Maria das Graças sonha ainda com a nova casa. "Eu queria vir porque se recebesse a casa seria a melhor coisa da vida porque é minha mesmo", contou a lavradora. Outros lavradores reclamam da falta de assistência. "Me informaram um valor que viria um valor de R$ 250 mil para as casas e as percas que as pessoas tiveram. Tinha também uma bolsa para recomeçar, mas até hoje não soube mais de nada", disse o lavrador Francisco Oliveira que não recebeu nada.

A lavradora Fátima Oliveira teve de distribuir os filhos pela casa de padrinhos porque a casa é pequena. "Não tem energia e nem água. Tem de ir para o mato. Meus filhos estão espalhados.", comentou a lavradora Fátima sobre a paralisação das obras em setembro e ter de mudar para a casa inacabada.

A Agência de Desenvolvimento Habitacional do Piauí (ADH) informou que investiu R$ 79 mil na construção de 4 casas. O construtor disse que que as casas estão prontas, a exceção de uma. A ADH afirmou ainda que vai enviar uma equipe técnica da área de engenharia para fiscalizar a obra.

Fonte: G1 PI/Por PITV 2ª Edição

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta