04/09/2017

Vivendo de ajuda, motorista que teve ônibus queimado no Piauí, faz bingo


Pouco mais de duas semanas após perder o seu maior patrimônio, o motorista Antônio Marlon Medeiros da Costa conta com a ajuda dos amigos para manter a família. Ele é uma das vítimas dos atentados a ônibus que destruíram três ônibus na madrugada da última terça-feira 22 de agosto. 

O veículo estava estacionado próximo a casa de Marlon, que havia chegado de viagem no dia anterior. Ele relembra como ficou sabendo do incêndio por volta das 22h daquela noite. "Como fazia sempre eu cheguei de viagem no domingo e estacionei o carro perto da minha casa. Na segunda-feira eu estava descansando do fim de semana viajando quando me chamaram e eu vi o carro sendo queimado. É um momento de dor. A gente fica olhando a nossa ferramenta de trabalho acabando sem poder fazer nada", relembrou o motorista.

Para ajudar ele e outra vítima deste atentado, o Clube dos Rodoviários de Teresina cedeu seu espaço para que seja realizado um bingo na próxima quinta-feira (7). A cartela custa R$ 10 e o dinheiro arrecadado será dividido entre Marlon e outro motorista, Wilson, que também teve o veículo destruído pelo fogo.

Antônio é casado e tem dois filhos, um de 16, outro de 18 e segundo ele, a renda da casa está completamente comprometida, já que ele mantinha a família fazendo as viagens com seu veículo. "Estamos vivendo com a ajuda de amigos. Não tenho mais nada e ninguém nos procurou do poder público", lamenta.

Ordem partiu de presídio
Seis suspeitos de participação nos incêndios criminosos a veículos na capital foram presos pelo Grupo de Repressão ao Crime Organizado (GRECO). 

A investigação da Polícia Civil do Piauí aponta que a ordem para os ataques partiu de detentos da Casa de Custódia de Teresina e teria sido uma reação a medidas disciplinares impostas no presídio. Na semana passada, a esposa de um dos detentos foi presa. A operação cumpre mandados de busca e apreensão expedido pelo juiz Luiz de Moura Correa, da Central de Inquéritos Policiais. 

"Apreendemos artefatos que estava sendo armazenados, provavelmente, para nova queima de ônibus. Cinco pessoas foram conduzidas e tudo indica que serão autuadas em flagrante por razão do artefato. Vamos continuar investigando e se houver novos envolvidos será aplicada a lei", disse Charles Holanda, um dos delegados que investiga os incêndios.

Rayldo Pereira
rayldopereira@cidadeverde.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta