25/08/2017

Bombeiros do PI sofrem com a falta de estrutura e precariedade nos equipamentos

São pneu de viatura estourado e bombeiro atendendo ocorrência de incêndio sem máscara.

Bombeiros sofrem com a falta de estrutura e precariedade nos equipamentos

Faltando poucos dias para a chegada do período mais quente do ano, quando costuma crescer o número de incêndios e de chamadas para o corpo de bombeiros, a situação da corporação é preocupante. São pneu de viatura estourado e bombeiro atendendo ocorrência de incêndio sem máscara.

Fotos feitas pela Associação dos Bombeiros mostram colchões do alojamento onde os bombeiros descansam totalmente velhos e viatura com pneu estourado. De acordo com o presidente da associação, capitão Anderson a situação é precária.

“Atualmente só temos duas viaturas de combate a incêndios operando de maneira precária, porque estão totalmente deterioradas, sendo operacional de forma parcial. São pelos menos 14 municípios para esses dois veículos. Temos uma demanda enorme e a corporação não tem recurso humano para atender a demanda. Falta efetivo,, viaturas e material de proteção individual e coletivo para os bombeiros”, denunciou.

Sem querer se identificar, um bombeiro relata em áudio com a situação do Corpo de Bombeiros do Piauí. “Atendemos a uma ocorrência na Zona Sul da capital, pela falta de estrutura, faltou equipamento de proteção respiratória para todos. Alguns colegas fizeram o combate ao incêndio sem mascaras. Um colega inalou muita fumaça e por consequência disso ele ficou internado. Há pouco mais de duas semanas uma viatura nossa quase capotou porque o pneu estourou por falta de manutenção”, relatou.

De acordo com dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), foram registrados nos meses de setembro e outubro do ano passado mais de 4.300 focos de incêndios no Piauí.

O Corpo de Bombeiros afirma que a estrutura não é suficiente, mas que pode somar esforços como já ocorreu outras vezes para atender todas as demandas. A corporação diz ainda que depende de concurso para resolver os problemas.

“Nós estamos limitados por esse concurso e até que isso se conclua a corporação fica engessada no que diz respeito a ampliação da estrutura de pessoal. Dependemos disso para que possamos seguir o número que a lei fixou, ou seja, de 1.300 homens”, afirmou major Veloso, relações públicas do Corpo de Bombeiros.

O último concurso realizado para o Corpo de Bombeiros este ano foi anulado após descoberta de fraude. A assessoria de comunicação do governo do estado informou que o Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) vai anunciar, mas ainda não há uma data das provas.

Sobre a falta de estrutura, o corpo de bombeiros repassou que não é a ideal, mas que atende a necessidade e que o governo do estado está fazendo um esforço para melhorar.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta