03/08/2017

Assaltantes de banco pagaram R$ 50 mil para fugir da Casa de Custódia

A Polícia Civil monitorou durante vários meses a organização criminosa e flagrou o líder da quadrilha repassando objetos e dinheiro para o PM; veja vídeo 


Os quatro detentos que fugiram da Casa de Custódia no dia 02 de março pagaram cerca de R$ 50 mil para a organização criminosa presa nesta quinta-feira (03), na Operação Conexão. Carlos Souza Silva, Leônidas da Silva Gomes, Anderson Teodoro de Sousa e outro homem identificado como Vilmar foram presos suspeitos de participação em assaltos a bancos no Piauí.

Segundo o delegado Carlos César Camelo, do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), os assaltantes fugiram pela guarita da Casa de Custódia, passando por uma área onde somente policiais tinham acesso. “Isso levantou suspeitas quanto à participação de homens da segurança do presídio”, disse o delegado.

O pagamento do valor de R$ 50 mil pela facilitação da fuga teria sido negociado parte em dinheiro e a outra com um carro modelo Gol. O veículo foi apreendido em Timon e estava com Ivoneide Ângela Silva Ribeiro, que também foi presa por participação na quadrilha.

Monitoramento
A Polícia Civil monitorou durante vários meses a organização criminosa, liderada pelo ex-detento Josimar Carvalho da Silva, com a participação do policial militar Cláudio Rodrigues do Nascimento, da mãe e esposa de detentos Ivoneide, do filho dela Paulo Reis Silva Ribeiro e de mais duas pessoas identificadas como Israel Alves da Silva e Ismael Ferreira da Silva.



As imagens gravadas durante as investigações mostram Josimar entregando celulares, acessórios e dinheiro para o PM. Outra gravação mostra Josimar entregando objetos para Ivoneide.

Revistados
O secretário de Justiça Daniel Oliveira informou que está editando uma portaria determinando que policiais militares, agentes penitenciários e demais servidores que atuam na Casa de Custódia passarão a ser revistados da mesma forma que os visitantes de detentos.


Segundo ele, o procedimento é necessário para evitar a entrada de objetos ilícitos no presídio. “Vamos garantir que agentes públicos corrompidos por organizações criminosas não tenham lugar na segurança pública”, disse Oliveira. A portaria passa a valer assim que a portaria for publicada.

O secretário de Segurança Fábio Abreu informou que já foi aberto processo na Corregedoria da Polícia Militar para afastamento do policial Cláudio Rodrigues, que era cabo e tinha mais de 20 anos na corporação. 

Esquema
A investigação revelou como funcionava o esquema da quadrilha. O Josimar era o líder do grupo, responsável por cooptar o policial e os outros envolvidos na organização. Ele mantinha contato com familiares de presos e também com os próprios detentos, por meio do policial militar.



Os celulares e as baterias eram entregues para Israel Alves, conhecido como Siri, pela Ivoneide, cujo filho - Paulo Reis - e o marido - Francisco de Paula - estão presos na Custódia. 

Josimar recebia do Siri os aparelhos eletrônicos, em sua maioria roubados e arremessava para dentro dos pavilhões C, F e H os objetos enrolados em fita isolante.

Já dentro do presídio, Ismael e Paulo Reis revendiam os aparelhos para outros detentos. Os celulares custavam cerca de R$ 1.500. As baterias e os carregadores valiam em torno de R$ 600.

Josimar foi preso na Vila Irmã Dulce e já tinha contra ele um mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas. O Policial Militar está preso no presídio militar. 

Fonte: Portal ODia/Por: Nayara Felizardo e Maria Clara Estrêla

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta