09/07/2017

Cinco são conduzidos por uso de celular e por pular muro de local de prova do Concurso da PM-PI

Um dos casos foi no Instituto Federal do Piauí e outro na na Unidade Escolar Pequena Rubim. 

 
Candidatos flagrados com celulares durante prova de concurso são detidos (Foto: Ellyo Teixeira/G1) 

Policiais do Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco) conduziram para a delegacia pelo menos duas pessoas usando telefones celulares na aplicação das provas do Concurso da Polícia Militar do Piauí neste domingo (9). Mais três foram flagrados pulando o muro da Universidade Estadual do Piauí. 

Um dos candidados com celular foi flagrado no Instituto Federal do Piauí (IFPI), Centro de Teresina. Outro caso parecido foi registrado na Unidade Escolar Pequena Rubim, conjunto Mocambinho, na Zona Norte de Teresina. A informação foi confirmada pelo coronel Josinaldo de Sousa, da Polícia Militar. 

Um candidato também chegou a ser levado para a delegacia por estar com um celular na hora da prova. No fim da tarde, o secretário de segurança, Fábio Abreu, falou ao G1 que os casos não foram graves e nenhuma tentativa de fraude foi flagrada. 

"Até o momento, nenhum caso mais grave, apenas alguns desavisados que ainda levam celular. Não tivemos autuações, provavelmente haverá apenas assinatura de Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), mas sem prisões", disse ele. 

O Núcleo de Concursos e Promoção de Eventos (Nucepe) da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) informou que um contingente de quase 3 mil pessoas foi escalado para atuar na fiscalização do concurso. 

 
Candidato chegou a ser levado para a delegacia (Foto: Junior Feitosa/ G1) 

Na Uespi três alunos foram retirados do local depois de terem pulado o muro da instituição após o fechamento dos portões. Eles foram automaticamente desclassificados do certame. Na sexta-feira (7) a polícia prendeu o segurança de um shopping de Teresina que na prova anterior conseguiu o caderno de questões antes da aplicação e teria comercializado por R$ 2 mil. 

Segundo a Polícia Militar, foram cerca mil policiais atuando na prova para evitar novas fraudes e toda a inteligência da polícia está empenhada em evitar novos delitos. O principal objetivo foi evitar o vazamento da prova, como aconteceu na etapa anulada e evitar a entrada de equipamentos eletrônicos no local das provas. 

As provas da primeira etapa do concurso da PM-PI foram anuladas em maio deste ano após a polícia descobrir uma tentativa de fraude. O Nucepe e a Secretaria de Segurança Pública do Piauí informaram na época que ocorreu vazamento de questões de português e o processo foi cancelado. 

Um total de 32.010 candidatos se inscreveram para concorrer às 480 vagas ofertadas pela PM-PI. Para a reaplicação das provas não foram reabertas as inscrições do concurso e os candidatos inscritos foram mantidos, com exceção dos suspeitos de fraude que foram eliminados do certame.

Fonte: G1 PI 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta