01/05/2017

Em depoimento, suspeito de matar e estuprar idosa diz que não lembra de ter praticado crime

Segundo delegado, suspeito apresentou histórias confusas e negou estupro. Homem foi transferido para o presídio de Esperantina.

Prisão de suspeito (Foto: Folha de Batalha)

O delegado Leonardo Alexandre ouviu nesse fim de semana o suspeito de estuprar e matar uma idosa de 70 anos em Batalha, 154 km ao Norte de Teresina. O homem foi preso na sexta-feira (28), após sofrer tentativa de linchamento por populares revoltados e encaminhado ao sistema prisional.

"Ele alegou não se lembrar de ter praticado o homicídio, que tinha ingerido bebida alcoólica e por isso acabou dormindo na casa da vítima. Ao ser questionado do crime de estupro, o mesmo negou que tenha abusado da idosa, o que comprova que ele tem consciência das coisas e finge ser doente mental quando não quer responder", revelou.

A vítima foi encontrada no dia 25, com sinais de estupro, dentro da casa onde morava, no bairro Formigueiro, em Batalha. Segundo a polícia, a vítima foi morta a golpes de faca e estava sem roupa quando os agentes chegaram ao local.

Para Leonardo Alexandre, o suspeito não apresentou uma linha de ideias compreensível e contava muitas histórias confusas ao ser questionado sobre a motivação de matar a idosa. As informações não devem ser consideradas relevantes no caso, que segundo o delegado, foi elucidado com a prisão do criminoso.

"A razão e motivo do crime não ficou claro, porque ele não quis colaborar e mudava de história o tempo todo. Mesmo ele alegando que estava bêbado, isso não o isenta de penalidade. O suspeito foi encaminhado ao presídio de Esperantina, mas por questão de segurança deve ser transferido nos próximos dias", contou o delegado.

O suspeito foi autuado por feminicídio, que é uma qualificadora para o crime de homicídio praticado contra mulheres por razões de gênero. Caso seja comprovado o estupro contra a vítima, ele também pode responder pelo crime.

Conforme o delegado, o suspeito tem passagens pela polícia por diversos assaltos, violência doméstica e é fugitivo da Penitenciária Major Cesár. Ele era cunhado do filho da idosa e se aproximou mais da vítima depois de ser obrigado a manter distância da família.

"O suspeito cumpria medida protetiva porque ameaçava e agredia a mãe e a irmã. A idosa então começou a cuidar dele, fazer comida e lavar roupa, por isso ele frenquentava a casa dela diariamente. Mas depois de um tempo, a vítima passou a sentir medo dele, porque o mesmo ficava agressivo quando usava drogas", revelou o delegado Denis Sampaio, responsável pela investigação.

Fonte: G1/PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta