02/04/2017

Boatos nas redes sociais causam danos para pessoas e autoridades

Empresário teve o seu contato de telefone divulgado no Whatsap. Falsa campanha informava que vítima estaria doando filhotes de cães.


Boato causa transtorno para homem em Teresina (Foto: Reprodução/Whatsapp)

Mentira é, de acordo com o dicionário, dizer o que não é verdade, dizer o que não se pensa. Na era digital e em tempos de redes sociais, o significado de mentira pode ser também pegadinha, boato ou trote, e não precisa ser Dia da Mentira, como neste sábado (1º), para a propagação de informações inverídicas.

Um exemplo imediato é o do empresário Alessandro Aguiar, que teve o seu contato de telefone divulgado nessa sexta-feira (31) em uma mensagem pelo Whatsapp dentro de um anúncio que oferecia filhotes de cachorro para doação.

“Eu estava com a minha esposa indo almoçar quando recebi a ligação de um amigo dizendo que meu telefone havia sido divulgado em vários grupos em uma campanha de doação de animais. Era como se eu tivesse doando filhotinhos de cachorro, mas nem cachorro eu tenho”, contou.

Na falsa campanha, há fotos de filhotes de cachorro da raça Dálmata e um texto no qual o dono dos animais estaria os doando. Para quem gosta de animais, esta seria uma boa oportunidade, assim, muitos foram os que ligaram ou mandaram mensagem no telefone do empresário.

"São muitas mensagens e ligações, inclusive gente de outros estados e até de outros países, me perguntando sobre os animais. Não imaginava a proporção que uma notícia dessa poderia tomar tão rapidamente. Desde então, não tenho mais sossego", disse.

Dezenas de pessoas lotaram a agência bancária
(Foto: Divulgação/PM)
Alessandro conta que na primeira hora ficou bastante chateado com as ligações e mensagens, mas que aos poucos foi acalmando-se. "Cheguei a tratar mal várias pessoas que me ligaram, não me orgulho disso, mas estava extremamente chateado com o que estava acontecendo comigo. Com o passar das horas, fui ficando mais calmo. Nem imagino quem possa ter feito isso, mas conseguiu com certeza atrapalhar o meu dia, trabalho muito com o celular e com essa quantidades de telefonemas e mensagem não estou conseguindo fazer nada", falou.

O empresário disse que tentará levar na 'esportiva' e que não registrará Boletim de Ocorrência.

Outros casos de boatos
No dia 28 de novembro do ano passado, um boato sobre um possível dinheiro extra depositado nas contas dos beneficiários do programa Bolsa-Escola, fez com que dezenas de pessoas lotassem a agência da Caixa Econômica Federal de Bom Jesus, cidade a 632 km ao Sul de Teresina. A notícia inventada circulou pelo Whatsapp e logo tomou conta da cidade.

De acordo com o cabo Luis Araújo, da Polícia Militar, policiais precisaram ser acionados para conter a fúria de algumas pessoas que ficaram inconformadas ao saber que tudo era um boato.

Também no ano passado vários boatos que circularam nas redes sociais deixaram a população de Teresina assustada. Um deles afirmava que estaria ocorrendo um arrastão dentro de um supermercado, localizado na Avenida Homero Castelo Branco. Houve também a falsa comunicação de crime a uma rede de lojas e um restaurante, na Avenida Dom Severino. O último boato circulou informando de que um ônibus havia sido abordado por assaltantes que fizeram passageiros de refém na Zona Norte de Teresina.

Especialista
Segundo Washington Moura, mestre em comunicação, é delicado repassar algum tipo de material sem ter a certeza se aquilo é verdadeiro ou falso. “Acaba sendo um comportamento irresponsável repassar um material sem ter a certeza que aquilo é ou não verdadeiro. Um boato, uma ‘brincadeira’, pode causar grandes danos para a vida da pessoa ou pessoas envolvidas. Com a era digital, os casos se tornaram mais frequentes. A sugestão é que quem recebe algum conteúdo acusando alguém, apague o material, ou seja, não repasse, pois isso pode ser um problema irreparável”, disse.

Fonte: G1 PI

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta