15/03/2017

Secretário fala sobre lixão irregular, matadouro municipal e outros temas

Foto: Pablo Portugal
O secretário municipal de Meio Ambiente e Setor Primário, Paulo Eudes Carneiro, foi o entrevistado desta quarta-feira (15) no Jornal da Costa Norte. Logo no início, ele assistiu a uma reportagem que mostrava o problema do lixão a céu aberto no bairro Sabiazal, onde empresas quem limpam fossas despejam os resíduos, situação que tem gerado transtorno aos moradores da região. Em seguida, o gestor se posicionou sobre o assunto.

“Nós pegamos o bonde andando. Em 2015 já houve alguma providência do Ministério Público neste sentido, mas até então nada foi feito. A atividade de limpeza de fossa é um mal necessário, pois não se tem um serviço de esgoto sanitário satisfatório na cidade. Sugerimos que sejam criadas condições para que os dejetos possam ser drenados para a bacia de oxidação da Agespisa ou os próprios empresários façam uma parceria para resolver o problema, mas eles alegam que seria economicamente inviável”, argumentou.

Paulo Eudes disse que uma reunião ficou marcada para o dia 24 de março, com os empresários, moradores da área, além de órgãos como o Ministério Público e Agespisa, para que se busquem soluções para a questão. Ainda durante a entrevista, o secretário falou ainda sobre a situação da Matadouro Municipal, cuja obra vem se arrastando há anos sem que seja concluída.

“Fizemos duas ordens de pagamento para que se dê continuidade a parte de construção, estrutural, e temos mais cento e tantos mil em recursos da prefeitura para a parte de ferramentas. Isso acredito que dentro de três ou quatro meses possa estar concluído”. No entanto, o secretário admite que mesmo após ser concluído, o matadouro pode não ser suficiente para atender a demanda de Parnaíba e região, pois “é um projeto modesto em termos de quantificação”.

A Exposição Agropecuária de Parnaíba, feira que já chegou a sua 35ª edição, também foi lembrada por Paulo Eudes. Segundo ele, a expectativa é a realização de parcerias público-privadas para que o evento seja realizado este ano. “Isso porque a gestão passada deixou apenas R$ 50 mil em recursos alocados para a exposição. Estamos avaliando meios de termos mais recursos, como por exemplo através de emendas parlamentares destinadas por deputados”, explicou.

O secretário falou ainda sobre o Distrito Industrial dos Tabuleiros Litorâneos e a respeito do projeto da Vila do Leite. “A ideia é levar todas estas vacarias que estão na cidade para uma área específica nos Tabuleiros Litorâneos. O projeto foi lançado na administração passada e nos pretendemos dar continuidade, por entender que é uma medida positiva para o desenvolvimento do setor”, concluiu Paulo Eudes.

Fonte: Portal Costa Norte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta