07/03/2017

Intervenção urbana na praça da Graça



A praça da Graça, no centro histórico de Parnaíba, foi palco da intervenção urbana “Ordem e Regresso”, realizada no último sábado (04), por alunos das ações formativas para mediadores, promovida pelo Sesc Caixeiral. A ideia é chamar a atenção do público para a exposição Arena Conta Teatro e Resistência no Brasil (1965-1870), que em cartaz no Sesc Caixeiral.

As peças estão expostas na galeria Cristino Melo, no Sesc Caixeiral, em Parnaíba, até o dia 17 de março.

A exposição homenageia o dramaturgo Augusto Boal, em parceria com o Instituto Augusto Boal, coordenado por sua esposa Cecília Thumim Boal. 



A ação de intervenção foi constituída a partir da temática Teatro e Política: corpo, cidade e identidade, uma proposta promovida e realizada pelos participação da ação formativa para mediadores, ministrada pelo mediador Abimaelson Santos, professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), mestre em Cultura e Sociedade.

A intervenção utilizou técnicas do Teatro Invisível desenvolvida por Boal. Os atores realizaram um paralelo entre a atual situação do país, discutida durante a ação, e a época da ditadura vivenciada por Boal. “Nas ações invisíveis, o público não percebe que está sendo envolvido, e não cria barreiras”, afirma Abimaelson Santos. Essa estratégia possui duas finalidades, observar a reação do público a situações ainda não conhecidas e atrair a atenção do público para mensagem ou assunto posto em pauta. “Os comentários acabam gerando minimamente o boca-a-boca”, complementa Jaqueline Bezerra, analista de Artes Visuais do Sesc Caixeiral. 



Durante a intervenção urbana as pessoas que se relacionam cotidianamente com a praça em atividades laborais, pedestres ou pessoas em trânsito foram implicadas e afetadas de forma direta e indireta, gerando uma conversa atípica e várias trocas de diálogos. Exemplo disso foi um grupo de professores que fez um paralelo entre a reivindicação que acontecia no momento e a intervenção.

O Sesc possui nas artes visuais, diretrizes que promovem ocupação de espaços não convencionais da arte, ocupando locais muitas vezes externos às dependências da entidade, tais como ruas, calçadas, campos, fachadas de edifícios, galerias pluviais, túneis, praias, rios, barcos, dentre outras inúmeras possibilidades aventadas pela criação artística, dessa forma ampliamos a educação cultural.

Assessoria de Comunicação 
Colaboração: Jaqueline Bezerra
Fotos: Gelson Catatau

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta