21/03/2017

Imepi fiscalizará cronotacógrafo de veículos em Campo Maior e Pedro II

Estão sendo fiscalizados veículos com capacidade superior a 10 ocupantes e peso acima de 4.536 kg

Foto: Ascom Imepi

O Instituto de Metrologia do Estado do Piauí (Imepi) realizará, entre os dias 21 e 22 deste mês, nas cidades de Campo Maior e Pedro II, a fiscalização de cronotacógrafo. A operação ocorre em BRs e PIs e estão sendo fiscalizados veículos com capacidade superior a 10 ocupantes e peso acima de 4.536 kg.

O cronotacógrafo é um instrumento de medição utilizado para monitorar a velocidade, o tempo e a distância percorrida pelo veículo, assim como os parâmetros relacionados com o condutor do veículo, tais como: o tempo de trabalho e os tempos de parada e de direção. Essa obrigação é uma exigência legal, que consta no artigo 105 do Código de Trânsito Brasileiro.

Maycon Danilo, diretor-geral do Imepi, explica a importância dessa fiscalização. “Realizar a análise do cronotacógrafo de veículos é de fundamental importância, pois permite averiguar, com certeza, a velocidade que o motorista está dirigindo, bem como a jornada de trabalho, que agora foi regulamentada pela lei 12.619/12, que estabelece limite de tempo de direção contínua e determina descanso obrigatório dos motoristas profissionais. Além disso, em caso de acidente, o cronotacógrafo registra informações preciosas para que a perícia possa apurar com mais segurança o que de fato gerou o acidente”, destaca o diretor.

O certificado de regularidade do cronotacógrafo é entregue ao motorista após ensaio em empresas credenciadas. No Piauí, existem três empresas, duas em Teresina e uma na cidade de Picos. Essas empresas são organismos de inspeção creditados pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O cronotacógrafo precisa passar por verificação metrológica a cada dois anos, ou sempre que sofrer reparo ou manutenção.

A operação é uma parceria do Imepi com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e o Comando da Polícia Militar de Campo Maior.

Maycon Danilo explica ainda o que ocorre caso seja verificada alguma irregularidade no equipamento. “Caso esteja com o veículo irregular, o proprietário é autuado de acordo com o tamanho do veículo e peso. Se é pessoa física ou jurídica, as multas que variam de 1500 a 4500, a operação na cidade de Campo Maior teve saldo de três veículos autuados por irregularidade do cronotacógrafo”, acrescenta o diretor-geral do Imepi.

Fonte: Com informações da Ccom via 180

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta