20/03/2017

GOVERNADOR DO PIAUÍ, CONHECE PROJETO ‘ANJO DA GUARDA’


O Governador Wellington Dias e alguns secretários, se reuniram há cerca de dois anos com o empresário piauiense Agamenon Santa Cruz (criador do projeto ‘Anjo da Guarda’), para tratarem do projeto piloto no Piauí.


A reunião aconteceu no ano de 2015 e o projeto visa dar segurança ao motociclista e reduzir gastos na área de saúde para o estado.

O traumatismo craniano em pessoas que sofrem acidentes ao pilotarem motocicletas sem o uso do capacete, gera despesas com valores astronômicos para os cofres do estado.

Dinheiro que poderia está sendo usado para reformas e construções de novos hospitais porém, os números de acidentes envolvendo motociclistas sem o uso do capacete de 2015 até agora, março de 2017 só tem aumentado.

Na época, o governador do estado até mostrou total interesse ao projeto, mas hoje parece não ser mais prioridade.

O interesse do governador do estado do Piauí Wellington Dias, oficializou-se através de uma reunião da parceria público privada, conforme ata de reunião publicada no diário oficial do estado, no dia 08/09/2015.

Mais, parece que ficou no esquecimento, isso mostra que talvez não seja mais de interesse do Governo do Estado ou de seu secretariado este problema. (Traumatismo craniano em motociclistas acidentados). Que teria como uma das soluções a viabilização deste projeto, que tem impacto direto na redução de vítimas com traumatismos cranianos.

Não pode ficar apenas no papel, um país que vive uma crise financeira e que tem um estado que pode iniciar um projeto tecnológico, que tem como prioridade salvar vidas e gerar economia para cofres públicos, que é pioneiro neste segmento. Não pode ficar esquecido.

VIDEO: PROJETO ANJO DA GUARDA

Estatísticas de acidentes

Aquivos : Dados HUT Atualizados
DADO DA SECRETARIA DE SAÚDE … ONDE FALA QUE SÓ EM 2015 FORAM 563 CASOS DE TRAUMAS DE CRANIO POR FALTA DE CAPACETE AO CUSTO DE 152.000,00 POR CASO PARA O ESTADO .

Em 2011, o Estado do Piauí registrou 2.967 internações de motociclistas acidentados, sendo 588 fatalidades (Associação Brasileira de Prevenção dos Acidentes de Trânsito, 2015). A quantidade de óbitos de motociclista representa mais de 50% do total de mortes causadas por acidentes de trânsito, incluindo todas as demais modalidades.

Os números dos acidentes de trânsito envolvendo motocicleta indicam que entre os anos de 2011 e 2013 foram gastos em torno de R$12 BILHÕES , com a previdência social no Brasil, havendo um aumento de 53,84% agravado pela região nordeste POR CONTA ALTA TAXA DE ACIDENTES COM MOTO.

Uma pesquisa feita em 2013, pelo Dr Daniel França, apontou que de 361 pacientes que deram entrada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), com traumatismo crânio-encefálico (TCE), 289 não faziam uso do capacete, correspondendo a 80% dos pacientes. Com o uso do dispositivo, haveria uma redução estimada em 80%, ou seja, R$ 9 milhões em redução de custo. “Atualmente, até 84% dos pacientes que chegam ao HUT, são por acidente de moto, desses, cerca de 80% não estão usando o capacete, o que significa um número elevadíssimo de traumatismo craniano, de lesões cerebrais irreversíveis e de neurocirurgias de reabilitação, representando um custo muito grande para a sociedade e para o estado”, afirmou Daniel França.

O projeto Piloto no Piauí, “Anjo da Guarda”, que visa FINALIZAR Soluções de controle e monitoramento do uso do capacete, busca investidores, interessados em apoiar FINALIZARpesquisa e desenvolvimento do protótipo e intermediação do estado para conclusão dos estudos de viabilidade técnica, legal, saúde pública, segurança, sustentabilidade econômica e responsabilidade social de empreendimento de parceria com a iniciativa privada.

Com isso, a Secretaria de Governo (Segov), por meio da Superintendência de parcerias e Concessões (Suparc), em conjunto com o Fundo de Amparo à Pesquisa do Piauí – Fapepi e Agência de Tecnologia do Estado do Piauí – ATI, lançou o edital de chamamento público que envolva os parceiros privados com as condições necessárias e o devido comprometimento para apoiar o projeto de maneira eficiente, assegurando viabilidade técnico-econômica.

O DISPOSITIVO funciona como um equipamento de segurança orgânica, por meio de um conjunto de sensores. Com isso, a motocicleta só funcionará com o uso correto do capacete. A solução por si só, já é um produto que pode ser colocado no mercado, pois impede o furto da motocicleta sem o respectivo capacete habilitado. Dessa forma, a tecnologia adotada levanta outra vertente que é a de evitar o roubo da moto, pois o capacete funcionará como uma barreira. Qualquer tentativa de uso inadequado pode ser caracterizada como uma tentativa de furto e a sirene irá disparar como um alarme.

Atualmente, o projeto está em fase final de pesquisa e ajustes para produção em larga escala. Já foram desenvolvidos e testados vários protótipos com diferentes funcionalidades e alcançadas algumas combinações ideais em termos de segurança, conforto, ergonomia, praticidade e custo de produção. O objetivo é garantir funcionalidade com segurança, conforto e custo acessível.

ESTE É O NUMERO DO DECRETO DE LEI 16.340 DE 17 12 2015:
O prazo de pesquisa e desenvolvimento do projeto piloto seria de 12 meses, a contar da formalização do contrato de investimento entre a executora e o investidor, sendo 6 meses destinados para conclusão da pesquisa e desenvolvimento do projeto e os 6 meses subsequentes destinados para implementação do Projeto Piloto no Estado. O edital e seus anexos já estão disponíveis no site da Suparc www.ppp.pi.gov.br.

CAMPANHA ANO 2017 ( CAPACETE SALVA VIDAS )

Fonte: Pulsar News/Por: Landiane Mesquita

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 

Nossa matérias em seu E_mail

Digite seu endereço de e-mail:

Entregue por PHBemNota

Curta